Oliveiras – O “Santo Graal” de Portugal

A oliveira é uma arvore fulcral da nossa identidade, enquanto portugueses. Apesar do seu ar por vezes triste e de cores pouco vivas, é uma espécie de grande longevidade, podendo até durar mais do que 1500 anos.

Apesar de já fazerem parte da Península Ibérica há muitos anos, a sua domesticação tornou-se evidente com a chegada dos romanos. Estes esforçaram-se para obter maiores e melhores colheitas, selecionando e manipulando diversas plantas.

O Olival Transmontano

Trás-os-Montes não nos deixa ficar mal! Reúne as condições de solo e clima essenciais para que as suas azeitonas nos agradeçam, mostrando uma qualidade ímpar.

O nosso olival é um olival tradicional, em altitude (a cerca de 500 a 700 metros acima do nível do mar) e em regime de sequeiro. Isto permite que os azeites extraídos destes olivais, sejam extraordinariamente complexos e harmoniosos, fruto sobretudo desta distinta combinação entre cultivares e terroirs, que lhes dão vida.

Temos connosco três espécies de oliveiras: Cobrançosa, Madural e Verdeal Transmontana. São das espécies mais comuns em Trás-os-Montes, pois têm um cultivar muito produtivo e bastante regular.

São elas que dão o selo DOP “Azeites de Trás-os-Montes”, o que significa que estas árvores fazem parte da família que constrói esta bela terra Transmontana.

Deixe-se levar pelo sabor destas belíssimas arvores, provando os nossos azeites Crudus Clássico e Crudus Bio.